Impotência Causas – Melhores Dicas Exclusivas

A impotência é mesmo um problema bastante desagradável e que afeta uma grande quantidade de homens em todo o mundo.

As causas podem ser bastante variadas, mas a verdade é que a maioria dos casos se agrava porque os homens ainda têm muita vergonha de falar sobre o assunto.

Isso porque quanto antes o problema for identificado, diagnosticado e tratado, maiores são as chances de conseguir ótimos resultados.

Para isso, é importante conhecer as causas do problema e é por isso mesmo que hoje vamos falar sobre esse assunto.

Se você está tendo dificuldades de ter e manter uma ereção, basta você conhecer o estimulante sildenax que é um produto natural para melhorar o desejo sexual e ter uma desempenho sexual melhor.

Principais causas da impotência

Como já foi dito, as causas para o desenvolvimento da impotência sexual são muitas, que vão desde hábitos de vida até o uso de medicamentos para o tratamento de algumas doenças.

Vale lembrar ainda que a impotência sexual, também conhecida como disfunção erétil, é caracterizado pela dificuldade de ter ou de manter uma ereção que seja suficiente para a penetração.

As falhas ocasionais que ocorrem não são consideradas impotência e podem ocorrer com qualquer pessoas às vezes.

Dito isso, vamos conhecer as possíveis causas da impotência sexual:

  • Uso prolongado de medicamentos

Alguns remédios como os antidepressivos, antipsicóticos ou anti-hipertensivos podem causar problemas de impotência sexual, especialmente no uso prolongado.

Por isso, é ideal sempre contar com acompanhamento médico.

  • Consumo excessivo de álcool e tabagismo

O abuso de substâncias pode afetar o corpo de maneira negativa, prejudicando o desempenho sexual, pois influenciam em diversa funções envolvidas em uma ereção.

  • Disfunções hormonais

Alguns problemas que causam alterações nos níveis hormonais podem afetar o metabolismo e atrapalhar o funcionamento sexual. Dentre elas, podemos citar o hipertireoidismo e a diabetes.

Mais do que isso, o corpo também passa a apresentar maiores dificuldades na produção dos hormônios sexuais, como a testosterona, levando a dificuldade de ereção.

  • Depressão e outros problemas psicológicos

Transtorno de ansiedade e depressão são problemas que afetam negativamente o organismo, bem como sentimentos de medo, nervosismo, insatisfação. Tudo isso se reflete sobre o desempenho sexual na hora da intimidade.

  • Excesso de peso e obesidade

Estar acima do peso ou obeso pode ocasionar uma série de disfunções diferentes no organismo, além de aumentar o risco para doenças cardiovasculares. Isso leva a uma diminuição da circulação sanguínea, resultando em uma maior dificuldade para ter ereções.

  • Alterações físicas no genital

Algumas alterações físicas no pênis, embora raro, podem causar a impotência, tais como fibroses, alterações anatômicas, cistos e outros que atrapalham a passagem do sangue.

O mais importante é estar sempre atento, se cuidar e não ter vergonha de tratar o problema.

Benefícios do colágeno para os fios de cabelo

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar em colágeno, que é uma proteína que o nosso próprio organismo produz, existindo diversos tipos, e estando presente em, praticamente, tudo no nosso corpo. Na verdade, o colágeno é a proteína mais abundante no nosso organismo, representando nada menos que 30% do total de proteínas.

Embora seja possível encontrar colágeno em forma de suplementos ou na composição de cremes, ele pode ser encontrado naturalmente no organismo.

Muito valorizado, essa proteína contribui para a elasticidade e resistência da pele, além de garantir a saúde das unhas e cabelos, e isso por constituir as fibras que sustentam os tecidos do corpo, desde ossos, músculos, tendões e articulações.

Benefícios do colágeno

Sim, os benefícios do colágeno são muitos, por isso Gummy Hair é bom e a presença de colágeno é constante também em cremes de tratamentos não só dermatológicos, mas também capilares. Mas seus benefícios vão muito além. Dentre eles podemos destacar os seguintes:

  • fortalece as unhas e os cabelos;
  • melhora o aspecto da pele, dando firmeza e hidratação;
  • ajuda no tratamento contra flacidez;
  • previne o envelhecimento precoce da pele;
  • evita e protege os desgastes das articulações;
  • auxilia no tratamento da osteoporose.

O fato é que o colágeno, além de fazer um bem enorme para a pele, ele pode fazer maravilhas para os cabelos, sendo portanto, uma ótima pedida.

Por isso, invista em produtos capilares que contam com colágeno e sua fórmula, pois, geralmente, eles vão garantir maior elasticidade, resistência e flexibilidade aos fios.

Mas, Colágeno funciona mesmo?

Na verdade, é precisa saber que os benefícios do colágeno para os cabelos ainda é motivo de muita polêmica no mundo dos hair stylists. Enquanto uns defendem que funciona, outros dizem que não há nenhuma pesquisa científica, ou estudos suficientes comprovando a sua eficácia.

Mas, o fato é que a despeito de toda essa polêmica em torno dos benefícios, ou não, do colágeno para os cabelos, desenvolvedores e fabricantes de cosméticos continuam apostando no seu uso.

Assim, hoje é possível encontrar uma infinidade de produtos no mercado cuja composição contém colágeno para os cabelos. E a dica é apostar neles e, principalmente, nos que também contam com a queratina na fórmula, garantindo cabelos saudáveis e bem tratados.

Enquanto a queratina fortalece o fio, o colágeno ajuda na resistência, elasticidade, além de formar uma película protetora, ótima para quem precisa enfrentar constantemente secador, chapinha, sol, etc.

Colágeno e gelatina

Nada de confundir produtos que contenham colágeno na sua fórmula, com gelatina. Acredite, muita gente aplica gelatina nos cabelos.

Hoje já é possível encontrar uma grande quantidade de produto no mercado, para todos os tipos de cabelos, com colágeno em sua formulação, não há necessidade de apostar em receitas caseiras, muitas vezes, sem nenhuma comprovação científica. E mais, com o risco de danificar, ainda mais, os fios.

Alimentos bons e ruins para varizes

Existe uma série de fatores de risco que podem ser considerados quando o assunto são as varizes. Sendo assim, além da predisposição genética, fatores como obesidade, sedentarismo, uso de anticoncepcionais e gravidez também podem influenciar.

Para quem não sabe, as varizes são vasos que acabam se dilatando e se deformando por causa de uma falha na sua válvula. Essa válvula, por sua vez, atua possibilitando que o sangue seja bombear do volta para o coração, sem retornar aos pés por causa da gravidade.

Essa condição pode apresentar diversos graus de intensidade, desde os mais simples e com poucos sintomas até os mais graves com sintomas bastante incômodos, Varizero é um creme para varizes que ajuda a diminuir todos estes sintomas e portanto é um ótimo aliado para quem sofre com o problema.

O tratamento para esse problema, obviamente, irá depender do grau de intensidade do problema e dó pode ser determinado por um médico depois de analisar o caso individualmente.

Alimentação para varizes

Pois bem, o fato é que não existe uma alimentação que possa ajudar a combater ou a prevenir as varizes. No entanto, claro que uma boa alimentação pode ser muito benéfica para a circulação sanguínea como um todo.

É por isso que a dica é sempre apostar em alimentos que favoreçam o sistema circulatório, de forma a obter esses benefícios para o corpo.

  • Evitar: alimentos que prejudicam a circulação

O sal é um dos principais inimigos da circulação sanguínea. Mais do que isso, ele ainda favorece a retenção de líquidos no organismo, o que pode dificultar o bombeamento do sangue, elevando a pressão arterial.

Então, a dica é sempre evitar o consumo de alimentos industrializados, que são ricos em sódio, com destaque especial para sopas e temperos prontos.

  • Consumir: alimentos que favorecem a circulação sanguínea

Para melhorar a circulação, a dica é apostar em uma alimentação que inclua muitas frutas, verduras e legumes. Apenas 5 porções diárias de vegetais já pode diminuir em 25% o risco de morte.

Além disso, prefira alimentos que tenham vitamina C, que ajuda a fortalecer a parede dos vasos; gorduras insaturadas, como castanhas e amêndoas, que são antioxidantes e beneficiam as artérias; ômega-3, que ajuda a melhorar o colesterol, diminui a coagulação e a inflamação dos vasos sanguíneos.

Você também pode apostar no Licopeno, que dá a cor vermelha aos alimentos e previne a obstrução das artérias; polifenóis, que estão presentes em alimentos de origem vegetal, tais como verduras, frutas e legumes; fibras alimentares, amido resistente, alicina, potássio, vitamina E e outros.

Como surgem e como tratar as estrias

Uma das maiores dores de cabeça feminina, sem dúvida, são as estrias. Elas chegam de mansinho, muitas vezes só sendo percebidas bem tarde, dificultando seu tratamento. Mas, a boa notícia é que, felizmente, para a alegria geral da nação, as estrias têm solução!!

E é exatamente isso que vamos mostrar agora, como elas surgem e como nos livrar delas de uma vez por todas!

Como as estrias surgem?

Como é fácil imaginar, dentre os motivos de seu surgimento está o aumento de peso e a gravidez, que são situações onde há um estiramento muito grande na pele, causando a estria.

Pois é, essas danadas se formam do rompimento das fibras elásticas da pele, ou seja, quando a pele estica muito, em um curto período de tempo, como numa gravidez ou após um enorme ganho de massa muscular (musculação), ou na adolescência, quando a pessoa cresce muito rapidamente nessa fase.

 

Características das Estrias

As estrias podem surgir ter três cores: vermelhas, roxas ou brancas.

As vermelhas são estrias novas, que apesar de coçar bastante, são mais fáceis de tratar, já que ainda há a presença de sangue.

As roxas já são um pouco mais evoluídas, pedem mais hidratação e esfoliação.

Por outro lado, as estrias brancas já são as mais difíceis de tratar, não há mais sangue na região, pedindo, portanto, um tratamento mais agressivo.

Como são os tratamentos?

Muitas vezes, as estrias acabam até desaparecendo sozinhas, mas é sempre bom, logo ao percebê-las, buscar o quanto antes o tratamento adequado. O tratamento vai estimular as fibras de colágeno para que voltem a ser produzidas, sumindo com as estrias definitivamente.

Algumas estrias, as mais recentes, podem ser tratadas com cremes e loções, Silk Skin funciona para isto e pode ser comprada com ou sem receita médica.

Outras, no entanto, mais antigas, devem ser tratadas com peeling com ácido retinóico, laser ou luz pulsada, carboxiterapia, dermaroller.

O tratamento ideal

Se as estrias forem recentes, os cremes costumam ser ótimas opções de tratamento, pois são fáceis de encontrar e possuem um bom custo benefício, porém, dê preferência para os que possuem em sua fórmula os seguintes ingredientes:

  • vitamina E –ajuda a hidratar e possui ação antioxidante;
  • centelha asiática –possui propriedades cicatrizantes;
  • ácido glicólico –retira a camada mais superficial da pele, fazendo uma esfoliação química que promete acabar com as estrias;
  • ácido retinóico –contrai as fibras de colágeno, que dá firmeza à pele;
  • óleo de rosa de mosqueta –é regenerador e ajuda a firmar mais a pele
  • óleo de camomila, coco e amêndoas doce – são muito hidratantes e potencializam o tratamento.

Enfim, ninguém quer exibir na pele essas cicatrizes, portanto, o ideal é prestar atenção, se hidratar sempre e, caso perceba alguma estria, procurar logo um dermatologista.

Truques especializados para o crescimento do cabelo

Você quer um cabelo de sereia? Inscreva-se nesses ótimos truques para cultivar cabelos e exibi-los em menos tempo.

1. Não cresce à noite

A menos que seu couro cabeludo seja superior ao resto, levará um tempo. O estilista de celebridades Mark Townsend, que ajudou Ashley Olsen a sair da moda, afirma que o cabelo cresce apenas de 0,7 a 1,2 centímetros por mês, desde que ele seja saudável e não tenha pontas duplas. .

2. Ironicamente, tesouras são seus aliados

Isso ajudará a mantê-lo saudável e não quebrará. Segundo especialistas, essa é uma das principais bases de todo cabeleireiro. É aconselhável limpá-lo a cada 10/12 semanas para evitar fraturas e ajudar o cabelo a crescer.

3. Sempre use condicionador

“Se o seu cabelo está molhado, você deve aplicar o condicionador”, diz Townsend. Com a coloração e o tempo, o cabelo começa a ficar mais fino. O condicionador ajuda a substituir lipídios e proteínas dentro do cabelo.

4. Mas não use xampu toda vez que tomar banho

Ao contrário do shampoo, o shampoo, de acordo com nosso especialista, é o que você deve pular com mais frequência.

Eis o porquê: O objetivo do xampu é remover a sujeira e o acúmulo de outros produtos no cabelo, mas também pode levar óleos naturais essenciais do cabelo.

Quando você realmente precisar de xampu, aplique-o suavemente apenas no couro cabeludo.

5. Aplique óleo ou máscara capilar uma vez por semana

Como o cabelo está em contato com mais partes do corpo, ele precisa de cuidados além do condicionador normal. Townsend sugere o uso de máscaras e óleos semanalmente.

Além disso, o especialista nos dá a receita perfeita (caseira!): 1 xícara de óleo de coco não refinado misturado com uma colher de sopa de óleo de amêndoa, óleo de macadâmia e óleo de jojoba.

Como os óleos podem deixar algum resíduo no cabelo, é recomendável aplicar quando o cabelo está molhado e deixá-lo agir por 10 minutos. Em seguida, lave o cabelo com shampoo e condicionador, como de costume.

6. Considere suplementos de cabelo

Sua dieta também influencia a saúde do seu cabelo, e uma dieta adequada pode promover o crescimento do seu cabelo.

Você pode não estar incluindo todos os nutrientes necessários em sua dieta; portanto, é recomendável consultar um especialista para recomendar os produtos e quantidades corretos.

Um ótimo produto para fortalecer e crescer o cabelo de forma mais rápida e eficaz é o big hair, ele é um suplemento natural em cápsulas que ajuda no fortalecimento dos fios e crescimento rápido dos cabelos.

7. Escove o cabelo com cuidado

A escovação constante pode causar danos físicos ao cabelo, quebrando-o e impedindo-o de crescer como deveria. “Quando você desembaraçar o cabelo úmido, comece a desembaraçar na parte inferior e a subir gradualmente”, diz nosso especialista. Ele também recomenda o uso de escovas com cerdas de javali para desembaraçar.

8. Troque sua capa de almofada

Para cultivar o cabelo, a Townsend recomenda mudar para um tecido acetinado, pois possui uma superfície mais suave e sem atrito.

9. Não enrole o cabelo em uma toalha

Ao fazer isso, seu cabelo fica preso em todas as suas fibras e os fios ficam mais fracos, tornando-os mais propensos a quebrar. Se você continuar usando uma toalha, deixe-a super fina.

10. Mude a posição do rabo de cavalo

Com este simples movimento, você pode manter a integridade dos fios, deixando-os crescer mais rapidamente.

11. Faça uma lavagem com água fria antes de sair do chuveiro

“Isso realmente ajuda seu cabelo a crescer e se manter saudável por mais tempo”, diz Townsend. A água fria é depositada na camada mais externa do cabelo e ajuda a evitar a perda de maciez e danos causados ​​pelo calor.

Dicas para diminuir os seios sem cirurgia

Se por um lado tem o grupo de mulheres que sonha ter seios fartos, no melhor estilo norte americana, por outro, tem o grupo que não está nadinha satisfeita com seus fartos seios, e vive em busca de alternativas para diminuir o número do sutiã. Porém, sem ter que apelar para cirurgia plástica.

Se você faz parte do último grupo, esse artigo é para você! Vamos mostrar aqui dicas simples para diminuir os seios sem precisar recorrer à cirurgia.

Para quem deseja apenas firmar os seios, então Femme Busto Gel é uma solução excelente, vale a pena conferir 😉

Vale lembrar que para algumas mulheres, muito mais do que um fator estético, ter seios grandes significa dor nas costas e no pescoço, ou problemas de coluna, sem falar em todo mal estar psicológico e baixa autoestima que pode causar.

Quer diminuir os seios sem fazer cirurgia plástica? Então, confira essas 3 dicas!

1. Massagens com cremes

Embora essa dica não possa fazer com que os seios diminuam, sem dúvida, ao apostar em massagens cremes cujos princípios ativos causem tensão, como tensine ou DMAE, isso irá favorecer a sustentação dos seios, por estimular a produção de colágeno.

2. Sutiã redutor

Outra dica é investir em um sutiã redutor ou esportivo, isso irá fazer parecer que seios são menores do que, realmente, são, além de ajudar a sustentá-los, dando mais conforto e combatendo complicações como dores nas costas ou problemas de coluna, por exemplo. Sem falar que este tipo de sutiã ajuda a manter os seios no lugar.

Vale considerar que a grande maioria das mulheres de seios grandes não usa o modelo e tamanho de sutiã adequado, o que resulta numa má postura das costas e pressão nos ombros, fazendo até parecer que o seio é maior do que, realmente, é, além de flácido e caído.

Por isso, seguem as dicas para quando for comprar um sutiã:

Tamanho da copa adequado, já que a copa menor do que deve cria o efeito de peito duplo, e uma copa grande demais não sustenta adequadamente o peito;

O aro do sutiã sempre logo abaixo do peito, tem que estar bem situado entre o seio e as costelas para que sustente sem machucar;

Alças devem ser largas para sustentar bem o peito sem machucar ou causar pressão em excesso.

3. Controlar o peso e fazer exercícios

É fundamental manter o peso sob controle, já que aumentando o peso há também o aumento do tamanho dos seios.

E mais, praticar musculação e outros exercícios que requerem a utilização de barras e pesos também ajuda a levantar e a tornar os seios mais firmes. Dentre esses exercícios podemos destacar o Supino; Aberturas laterais e Voos; Saltar à corda…

Certamente, esses e outros exercícios voltados a esse fim só devem ser executados com a devida supervisão de um profissional de Educação Física.

Quando apelar para cirurgia?

A mamoplastia redutora, que é como chamamos a cirurgia para diminuir o tamanho e o volume das mamas, é aconselhada quando existe a presença de dores nas costas ou pescoço, ou quando é verificada uma mudança na postura em função do peso dos seios, como um tronco curvado, por exemplo.

O que fazer ao ter diabetes alta?

Para que não sane, a diabetes é caracterizada pela condição em que a produção de insulina é insuficiente ou quando ela não é bem utilizada pelo organismo.

A insulina, por sua vez, é o hormônio que age regulando a glicose e quando ela não funciona bem, a glicose sobre, levando à picos de açúcar no sangue.

O fato é que mesmo em tratamento, uma pessoa com diabetes pode ter dificuldade de manter os níveis desse hormônio regulado, podendo levar um tempo para que se encontra a dose ideal.

O mais importante de tudo é sempre contar com o acompanhamento médico e fazer uso da medicação corretamente, conforme o indicado.

Dicas para ajudar a controlar o diabetes alto

Muita gente não sabe, mas existem algumas dicas que podem ser o segredo para ajudar a controlar o diabetes e manter os valores dentro do que é recomendado, tais como:

  1. Registre em um caderninho os valores dos níveis de açúcar no sangue antes e depois das refeições
  2. Coma pequenas quantidade de doces e sempre depois das refeições, aproveitando para fazer uma pequena caminhada em seguida
  3. Não coma frutas isoladamente, mas sim acompanhadas de outros alimentos, como um iogurte, por exemplo
  4. Faça uma pequena caminhada depois das refeições
  5. Não passe por um período de mais de 3 horas sem se alimentar

Essas são dicas que podem ser aplicadas para os diabetes tipos 1 e 2 e também para o diabetes gestacional. Elas vão ajudar a ter mais controle sobre a condição e evitar que os níveis de açúcar fiquem muito baixos ou muito altos, provocando uma hipoglicemia ou hiperglicemia, respectivamente.

Como controlar a diabetes?

De uma forma geral, até que os níveis de açúcar no sangue se regularizem, é preciso fazer uma verificação do sangue em jejum, bem como antes e depois de cada refeição.

Quando os valores se regularizarem, o médico irá indicar a quantidade de vezes que será necessário fazer a verificação do sangue e isso vai variar de acordo com a medicação indicada.

para fazer essa verificação dos níveis de sangue, será necessário fazer um exame de sangue rápido, que pode ser feito em casa mesmo, com um aparelho que se chama glicosímetro.

Esse aparelho medidos da glicose é algo essencial para os cuidados de um diabético.

Para que tenha controle, é importante que o paciente diabético tenha uma boa alimentação, que seja pobre em açúcares, além de fazer acompanhamento regular com o médico e o controle diário com o aparelho!