Alimentos bons e ruins para varizes

Existe uma série de fatores de risco que podem ser considerados quando o assunto são as varizes. Sendo assim, além da predisposição genética, fatores como obesidade, sedentarismo, uso de anticoncepcionais e gravidez também podem influenciar.

Para quem não sabe, as varizes são vasos que acabam se dilatando e se deformando por causa de uma falha na sua válvula. Essa válvula, por sua vez, atua possibilitando que o sangue seja bombear do volta para o coração, sem retornar aos pés por causa da gravidade.

Essa condição pode apresentar diversos graus de intensidade, desde os mais simples e com poucos sintomas até os mais graves com sintomas bastante incômodos, Varizero é um creme para varizes que ajuda a diminuir todos estes sintomas e portanto é um ótimo aliado para quem sofre com o problema.

O tratamento para esse problema, obviamente, irá depender do grau de intensidade do problema e dó pode ser determinado por um médico depois de analisar o caso individualmente.

Alimentação para varizes

Pois bem, o fato é que não existe uma alimentação que possa ajudar a combater ou a prevenir as varizes. No entanto, claro que uma boa alimentação pode ser muito benéfica para a circulação sanguínea como um todo.

É por isso que a dica é sempre apostar em alimentos que favoreçam o sistema circulatório, de forma a obter esses benefícios para o corpo.

  • Evitar: alimentos que prejudicam a circulação

O sal é um dos principais inimigos da circulação sanguínea. Mais do que isso, ele ainda favorece a retenção de líquidos no organismo, o que pode dificultar o bombeamento do sangue, elevando a pressão arterial.

Então, a dica é sempre evitar o consumo de alimentos industrializados, que são ricos em sódio, com destaque especial para sopas e temperos prontos.

  • Consumir: alimentos que favorecem a circulação sanguínea

Para melhorar a circulação, a dica é apostar em uma alimentação que inclua muitas frutas, verduras e legumes. Apenas 5 porções diárias de vegetais já pode diminuir em 25% o risco de morte.

Além disso, prefira alimentos que tenham vitamina C, que ajuda a fortalecer a parede dos vasos; gorduras insaturadas, como castanhas e amêndoas, que são antioxidantes e beneficiam as artérias; ômega-3, que ajuda a melhorar o colesterol, diminui a coagulação e a inflamação dos vasos sanguíneos.

Você também pode apostar no Licopeno, que dá a cor vermelha aos alimentos e previne a obstrução das artérias; polifenóis, que estão presentes em alimentos de origem vegetal, tais como verduras, frutas e legumes; fibras alimentares, amido resistente, alicina, potássio, vitamina E e outros.

Dicas para diminuir os seios sem cirurgia

Se por um lado tem o grupo de mulheres que sonha ter seios fartos, no melhor estilo norte americana, por outro, tem o grupo que não está nadinha satisfeita com seus fartos seios, e vive em busca de alternativas para diminuir o número do sutiã. Porém, sem ter que apelar para cirurgia plástica.

Se você faz parte do último grupo, esse artigo é para você! Vamos mostrar aqui dicas simples para diminuir os seios sem precisar recorrer à cirurgia.

Para quem deseja apenas firmar os seios, então Femme Busto Gel é uma solução excelente, vale a pena conferir 😉

Vale lembrar que para algumas mulheres, muito mais do que um fator estético, ter seios grandes significa dor nas costas e no pescoço, ou problemas de coluna, sem falar em todo mal estar psicológico e baixa autoestima que pode causar.

Quer diminuir os seios sem fazer cirurgia plástica? Então, confira essas 3 dicas!

1. Massagens com cremes

Embora essa dica não possa fazer com que os seios diminuam, sem dúvida, ao apostar em massagens cremes cujos princípios ativos causem tensão, como tensine ou DMAE, isso irá favorecer a sustentação dos seios, por estimular a produção de colágeno.

2. Sutiã redutor

Outra dica é investir em um sutiã redutor ou esportivo, isso irá fazer parecer que seios são menores do que, realmente, são, além de ajudar a sustentá-los, dando mais conforto e combatendo complicações como dores nas costas ou problemas de coluna, por exemplo. Sem falar que este tipo de sutiã ajuda a manter os seios no lugar.

Vale considerar que a grande maioria das mulheres de seios grandes não usa o modelo e tamanho de sutiã adequado, o que resulta numa má postura das costas e pressão nos ombros, fazendo até parecer que o seio é maior do que, realmente, é, além de flácido e caído.

Por isso, seguem as dicas para quando for comprar um sutiã:

Tamanho da copa adequado, já que a copa menor do que deve cria o efeito de peito duplo, e uma copa grande demais não sustenta adequadamente o peito;

O aro do sutiã sempre logo abaixo do peito, tem que estar bem situado entre o seio e as costelas para que sustente sem machucar;

Alças devem ser largas para sustentar bem o peito sem machucar ou causar pressão em excesso.

3. Controlar o peso e fazer exercícios

É fundamental manter o peso sob controle, já que aumentando o peso há também o aumento do tamanho dos seios.

E mais, praticar musculação e outros exercícios que requerem a utilização de barras e pesos também ajuda a levantar e a tornar os seios mais firmes. Dentre esses exercícios podemos destacar o Supino; Aberturas laterais e Voos; Saltar à corda…

Certamente, esses e outros exercícios voltados a esse fim só devem ser executados com a devida supervisão de um profissional de Educação Física.

Quando apelar para cirurgia?

A mamoplastia redutora, que é como chamamos a cirurgia para diminuir o tamanho e o volume das mamas, é aconselhada quando existe a presença de dores nas costas ou pescoço, ou quando é verificada uma mudança na postura em função do peso dos seios, como um tronco curvado, por exemplo.